REDUTO DO COMODORO - o Blog de CARLOS REICHENBACH - comodoro@olhoslivres.com
   SESSÃO DUPLA DO COMODORO DE FEVEREIRO DE 2005 - I

A NOITE PÂNICA

SESSÃO DUPLA DO COMODORO

02 de fevereiro de 2005

A Sessão Dupla do Comodoro, de fevereiro, será inteiramente dedicada ao movimento "Pânico", de Fernando Arrabal, Roland Topor e Alejandro Jodorowsky. Esta é uma rara oportunidade de conhecer os dois filmes que deram visibilidade mundial a uma das manifestações culturais mais expressivas e radicais do nosso tempo.

Serão exibidos: "Viva La Muerte", de Fernando Arrabal e "Fando e Lys", de Alejandro Jodorowsky.

As sessões começam às 21.30, no CineSesc, e as senhas gratúitas estarão à disposição à partir das 21.00 horas na bilheteria do cinema.

VIVA LA MUERTE (1970)

França / Tunísia - 87 minutos - colorido

- em francês com legendas em inglês -

Direção: Fernando Arrabal

Roteiro: Fernando Arrabal e Claudine Lagrive (baseado na autobiografia de Arrabal, "Baal Babilônia")

Produtores: Hassen Daldoul e Jean Velter

Música Original: Jean-Yves Bosseur

Fotografia: Jean-Marc Ripert

Montagem: Laurence Leininger

Elenco: Núria Espert, Mahdi Chaouch, Anoek Ferjac, Ivan Henriques

Sinopse

Em uma cidade espanhola, uma família composta da avó, a mãe e uma tia, o garoto Fando, durante a guerra civil, assiste o pai republicano ser preso e condenado à morte e, posteriormente, à prisão perpétua. Fando descobre que a própria mãe havia denunciado o pai e, aos poucos, inicia o calvário de se libertar de seu amor excessivo, edipiano, pela mãe e do universo matriarcal e reacionário da própria casa e país.

Informações

 Filme de estréia do dramaturgo Fernando Arrabal, inspirado em sua autobiografia "Baal Babilônia". Arrabal traz para o cinema a essência do "Movimento Pânico", que ele fundou com Roland Topor e Alejandro Jodorowsky. O "Pânico" propunha uma arte construída de desespero, dor, esperma, fezes e sangue. As imagens de "Viva La Muerte" foram assumidamente inspiradas em Jerome Bosch, Valdes Leal e Bruegel. Arrabal fez questão de subverter as cores do filme, através do uso do negativo 35 mm e do posterior processamento em vídeo (numa ousada experimentação técnica pré-digital pioneira) várias vezes, o que dá ao filme uma aura de vanguardismo raro muito além das influências surrealistas (Arrabal viveu três anos uma intensa experiência de vida com André Breton, Magritte, Buñuel e, sobretudo, Salvador Dali). O título "Viva La Muerte" é uma atrevida resposta ao filósofo Miguel Unamuno. Os letreiros de apresentação são sobrepostos às pinturas oníricas e fesceninas de Roland Topor (o autor de "O Inquilino", livro que inspirou o melhor filme de Roman Polanski). Moravia, Duchamp, Mandiargues e Mauriac foram alguns dos maiores entusiastas de "Viva La Muerte".

Opiniões

"L'avere stabilito un rapporto dialettico tra i mostri dell'inconscio e la vita morale mi pare uno dei meriti principali di questo film eccezionale." - Alberto Moravia

"The film is full of frenzy. It was created by someone with a furious imagination. The bull slaughter scene is a masterful surrealist sequence. It is a remarkable film and essential viewing for anyone interested in surrealism." (Chaotic Cinema)

"The film, almost as bloody and revolting as war and betrayal, is the testament of one of those children. In a bleak land inured to poverty and despair, Fando encounters cruelty everywhere. The schoolboys cut up insects, the bigger boys beat him for being the son of a Red, his sexually attractive Aunt Klara begs him to flagellate her, his grand-mother taunts him for his fear of the dark...The squeamish walked out when it was shown at the film festival in 1971. But for those of us who have never directly felt the brutality of war, the obscenity of Arrabal's images was a revelation of nightmares we have been spared." (Judy Stone, SF Chronicle)

"Viva la Muerte is a paroxysm of anguish, a scream for liberty and probably one of the most ferocious, violent films ever made. Reminiscent of Bunuel and Kozinsky, it mingles, in hallucinatory images, the realities and nightmares or a 12 year-old boy growing into manhood at the moment of Franco's victory. Every few minutes it veers from uncertain realism into the boy's imagination, beset by monstrous tortures, violence, death, and a primitive sadism that engulfs the spectator precisely because it does not impose upon, but merely activates his own atavistic, subconscious fears and desires." (Amos Vogel)



 Escrito por Carlos Reichenbach às 14h04
[] [envie esta mensagem]


 
   SESSÃO DUPLA DO COMODORO DE FEVEREIRO DE 2005 - II

FANDO Y LIS (1967)

México - 96 minutos - branco e preto

- em espanhol com legendas em inglês -

diretor: Alejandro Jodorowsky

roteiro: Fernando Arrabal e Alejandro Jodorowsky, adaptação de uma obra para teatro de Fernando Arrabal

produtores: Juan López Moctezuma, Roberto Viskin, Moshe e Samuel Rosemberg

música original: Mario Lozua, Hector Morely e Pepe Ávila

fotografia: Rafael Corkidi e Antonio Reynoso

montagem: Fernando Suarez

elenco: Sergio Kleiner, Diana Mariscal, María Teresa Rivas, Tamara Garina, Juan José Arreola

Sinopse

Um jovem de vinte anos e sua amiga paralítica viajam por um cidade chamada Tar. Desarraigados, infantis e abandonados em seus impulsos e desejos, Fando e Lis trafegam em um mundo de desesperada e impossível comunicação.

Informações

Alejandro Jodorowsky nasceu em Iquique, Chile, em 7 de fevereiro de 1929. Em 1942 mudou-se para Santiago onde começou a freqüentar a universidade e trabalhar como palhaço em um circo. Fundou um teatro de marionetes e, assim, iniciou sua carreira de ator, diretor, cenógrafo e escritor.

Em 1955 vai para Paris onde estudou Marcel Marceau. Neste período dirige Maurice Chevalier e realiza um filme de curta metragem considerado perdido, "As Cabeças Invertidas", baseado em texto de RThoman Mann. Ainda em Paris faz amizade com Roland Topor e Fernando Arrabal, com os quais o movimento "Pânico", de nítida influência surrealista.

Nos anos 60 vive entre Paris e México onde encena textos fundamentais de Ionesco, Arrabal, Beckett, Shakespeare e Nietzsche. Em 1967 cria a sua própria casa de produção, a Produciones Panicas, e dirige seu primeiro e verdadeiro filme, "Fando Y Lis", uma história de amor surreal adaptada de uma peça de teatro de Fernando Arrabal.

Em 1971 filma EL TOPO, um faroeste metafísico. que viria a se tornar um verdadeiro cult por todos os festivais internacionais em que foi exibido. Em 1973 realziou A MONTANHA SACRADA, sobre a busca alquímica da imortalidade e da verdade. De volta à França em 1975, Jodorowsky inicia um empreendimento monumental: a adaptação cinematográfica de "DUNA", a já clássica obra de Frank Herbert, para qual convocou como parceiros alguns dos maiores mestres do fantástico: Jean "Moebius" Giraud, HR Giger, Chris Foss e Dan O'Bannon. Para o elenco milionário Jodorowsky sonhou com Salvador Dalì (num participação especial como o Imperador Padiscià), Gloria Swanson, Orson Welles, Charlotte Rampling, David Carradine, e seu filho Brontis como Paul Atreides. A trilha sonora deveria ser de Pink Floyd. O filme deveria ter 16 horas para poder "mostrar o processo e iluminação de um herói, de um povo e de todo um planeta ..." . Jodorowsky se baseou em Tarocchi para desenhar todo o storyboard do filme com Moebius e chegou a iniciar a pré-produção. Os produtores americanos se retiraram do projeto quando perceberam o "tamanho da encrenca" e o filme se transformou no "mais aguardado filme nunca realizado". David Lynch acabou filmando "DUNA" em 1984, mas anos luz aquém da megalomaníaca empreitada de Jodorowski embora, mesmo assim, o filme tenha custado uma fortuna.

Em 1979, Jodorowsky dirige TUSK, que conta a história de um elefante indiano. Nesse meio tempo, graças a Moebius, Jodorowsky entra no mundo dos quadrinhos. Os dois realizam "Les yeux du chat" em 1978; depois a saga mistica de L'Incal, de 1980 a 1988, uma obra-prima do gênero, baseados no vasto material de DUNA.

Volta ao cinema em 1989 com SANTA SANGRE, filmado no México, produzido por Dario Argento, e interpretado pelo seus filhos Adel e Axel. Em 1990 realiza THE RAINBOW THIEF, com Peter O'Toole, Omar Sharif e Christopher Lee, uma fantasia que surpreendeu (e decepcionou) a maior parte de seus fãs. Neste filme Jodorowsky coloca em cena a sua paixão pelas cartas adivinhatórias, o Tarot (para a qual chegou a inventar um baralho próprio e com o qual faz periodicamente leituras particulares - embora semi-públicas - muito procuradas).

À partir da metade dos anos 90 retorna aos quadrinhos onde é atualmente uma das personalidades mais prestigiadas.

Opiniões

"Fando & Lis is pure surrealism. The best way to describe it is as a cross between Luis Bunuel and John Waters. In fact, it owes a good deal to Bunuel and Salvador Dali's surrealist classic Un Chien Andalou (1928)." - Jeffrey M. Anderson

"Fando y Lis opens with a woman eating a flower, which makes crunching noises. Excited yet? But before you dismiss the film as indulgent trash-art (which it certainly is), keep in mind that it comes courtesy of Alejandro Jodorowsky, one of precious few writer / directors who can make heady symbolic-surrealism work. That is, if you're willing to surrender yourself to the mondo absurdity of it all: an ounce of ironic detachment would deflate the whole thing, but then again, post-modernites aren't deserving of Jodorowsky's work, anyway. See, the real joy of the Chilean surrealist, as well as Luis Bunuel and (to a degree) David Lynch, lies in how much transcendent emotion he can wrest out of such seemingly incomprehensible imagery: his work strikes a subconscious chord that functions almost entirely on an implicit, dream-logic level, and the result is often unpleasantly affecting, despite (or because of) its bewildering qualities. Still, if you're one of those who consider weirdness a bad quality, don't bother." - Chris Coleman

"... Such as when Fando is whipped by a bikinied torturess and eyed by some horny transvestites, or encounters vampires drinking snifters of blood (as an additional note, Jodorowsky said that all on-screen blood was real). And what other director would keep a straight face while live pigs are being pulled from Lis' vagina? (Yeah, you read that correctly.) Or when supporting characters crawl into their own graves to perish, politely thanking the grave digger as he covers 'em up? But if Jodorowsky wanted the title characters to be enchanting kids, fouled by society's ills, he failed. Because though his vision is charmingly morbid and scattered with unintentional laughs, the leads are dead weight. Along the way, I realized I didn't care about either of 'em or their heavyhanded quest. It's dense going for Jodorowsky amateurs, yet a field day for fans of murky, symbolic baloney." - Steve Puchalski



 Escrito por Carlos Reichenbach às 13h48
[] [envie esta mensagem]


 
      
 
 

HISTÓRICO
 24/01/2010 a 30/01/2010
 25/01/2009 a 31/01/2009
 22/07/2007 a 28/07/2007
 22/01/2006 a 28/01/2006
 30/01/2005 a 05/02/2005
 23/01/2005 a 29/01/2005
 16/01/2005 a 22/01/2005
 09/01/2005 a 15/01/2005
 02/01/2005 a 08/01/2005
 26/12/2004 a 01/01/2005
 19/12/2004 a 25/12/2004
 12/12/2004 a 18/12/2004
 05/12/2004 a 11/12/2004
 28/11/2004 a 04/12/2004
 21/11/2004 a 27/11/2004
 14/11/2004 a 20/11/2004
 07/11/2004 a 13/11/2004
 31/10/2004 a 06/11/2004
 24/10/2004 a 30/10/2004
 10/10/2004 a 16/10/2004
 03/10/2004 a 09/10/2004
 26/09/2004 a 02/10/2004
 19/09/2004 a 25/09/2004
 12/09/2004 a 18/09/2004
 05/09/2004 a 11/09/2004
 29/08/2004 a 04/09/2004
 22/08/2004 a 28/08/2004
 15/08/2004 a 21/08/2004
 08/08/2004 a 14/08/2004
 01/08/2004 a 07/08/2004
 25/07/2004 a 31/07/2004
 18/07/2004 a 24/07/2004
 11/07/2004 a 17/07/2004
 04/07/2004 a 10/07/2004
 27/06/2004 a 03/07/2004
 20/06/2004 a 26/06/2004
 13/06/2004 a 19/06/2004
 06/06/2004 a 12/06/2004
 30/05/2004 a 05/06/2004
 23/05/2004 a 29/05/2004
 16/05/2004 a 22/05/2004
 09/05/2004 a 15/05/2004
 25/04/2004 a 01/05/2004
 18/04/2004 a 24/04/2004
 11/04/2004 a 17/04/2004
 04/04/2004 a 10/04/2004
 28/03/2004 a 03/04/2004
 21/03/2004 a 27/03/2004
 14/03/2004 a 20/03/2004
 07/03/2004 a 13/03/2004
 29/02/2004 a 06/03/2004
 22/02/2004 a 28/02/2004
 15/02/2004 a 21/02/2004



OUTROS SITES
 NOVO ENDEREÇO DO REDUTO DO COMODORO
 OLHOS LIVRES - o site de Carlos Reichenbach
 CARTAS DO REICHENBOMBER - Arquivo
 DEZENOVE SOM E IMAGENS
 OS BLOGS QUE CONCORREM AO QUEPE DO COMODORO
 ALTA FIDELIDADE
 ANOTAÇÕES DE UM CINÉFILO
 ARKADIN - CINEMA, PRA COMEÇO DE CONVERSA
 ARTE GRÁFICA (ou ANJO EXTERMINADOR)
 BAÚ DE FILMES
 CAIXA PRETA
 CELULÓIDE CORTADO
 CHIP HAZARD
 CINECASULOFILIA
 CINE ESTRANHO
 CINEFILIA
 CINÉFILOS DO TERCEIRO MUNDO
 CINÉFILOS OFF-LINE
 CINÉFILOS ON LINE
 CINEMA CUSPIDO E ESCARRADO
 CINE MAJESTIC
 CINEMATÓRIO
 CINENETCOM
 CURRAL CINE - BLOG DA VAQUINHA EUGÊNIA
 DIÁRIO DE BORDO
 DIÁRIO DE UM CINÉFILO
 DR. IGOR - NEWS ASSOCIADOS
 EM CARTAZ
 ERA UMA VEZ NA PARAÍBA
 FILMES DO CHICO
 FILMES GLS OU QUASE
 FREE AS A WEIRD
 FULERUS FILMES
 HATTORI HANZO
 IMPRESSÕES CINÉFILAS
 IMPÉRIO CINÉFILO
 LIMÃO MATUTINO - SEGUNDA SAFRA
 LOS OLVIDADOS
 MATA HARI & 007
 MELODIA DO OLHAR
 MONDO PAURA
 NUVEM DE PÓLVORA
 OS INTOCÁVEIS
 PAGODA REBORN
 PICILONE
 PSEUDOCINÉFILOS
 QUALQUER COISA QUE POSSA ME INTERESSAR ...
 QUARTO DO CHIKO
 RD - B SIDE
 REPETE QUE EU NÃO OUVI DIREITO
 SALA PROIBIDA
 SETARO´S BLOG
 THE BRIDGE
 TRÊS CINÉFILOS EM CONFLITO
 VERDADES E MENTIRAS EM 24 FOTOGRAMAS
 CONTRACAMPO
 CINEMASCOPIO
 CINE IMPERFEITO
 FILMESCÓPIO
 CRÍTICOS.COM
 CINEMA MARGINAL
 STONE AGE SCANNERS
 SALVE O VHS
 BLOG DO TAS
 VGI - Vivian Golombek
 O SIGNO DO DRAGÃO
 ALMANAQUE ROSÁRIO CAETANO
 DIONISÍACAS - O Blog do Dionísio Neto
 CINEMINHA
 CINEFILIA
 MULHERES DO CINEMA BRASILEIRO
 CINEMA EM FOCO - o cinema em Brasília
 DICK DANELLO - o site
 BLOG DO CINEMA BRASILEIRO
 DOINEL, O CINÉFILO DE DOIS CÓRREGOS
 SURREALISMO / DE CINEMA
 REATOR - Revista de Cultura
 AGULHA - REVISTA DE CULTURA
 FAKERKAKIR - Site de Ficção e Jornalismo
 REVISTA ETCETERA
 O CISCO TORNITRUANTE
 DOUTOR DALTON - um Blog surpreendente
 A MATÉRIA DO SONHO
 OLIGOFRIENDS
 JOSÉ GERALDO MARTINS
 NOTÍCIAS DO ZOO
 DEDOS DAS MOÇAS
 AS PERDIDAS
 BURBURINHO - o pensamento vivo de Nemo Nox
 OMBUDSMANS DE X-SALADA - é à sério
 MALDITOS FILMES BRASILEIROS
 JAPAN ACTION - site brasileiro
 POST DEAD - o Blog do Villa da 89FM
 MAGNUS OPUS COLLECTION
 CABINE - Revista Virtual
 SOMBRAS ELÉTRICAS
 MEIA ENTRADA
 FOTOLOG DO VEBIS JUNIOR
 ACRE INFUSO - O Blog-roteiro
 BOCA DO INFERNO
 APLAUSO - Revista de Cultura
 TODOS JORNAIS DO PAÍS
 JORNAL DOS OLHOS LIVRES
 O CRÍTICO DE CINEMA
 CINEMA NO DIVÃ
 CINE ART
 MOVIES AND MORE
 CINEMA E ETC
 WIDESCREEN
 OS CINÉFILOS
 7ARTE
 SPOILER
 CINELIGADO
 CINÉFILOS
 NOS BASTIDORES DA NOTÍCIA
 EU ASSISTI
 CINEMA & LITERATURA
 IMAGEM EM MOVIMENTO
 PORTAL CINE
 CINELÂNDIA
 CINEMA TURBINADO
 CINE VÍDEO EDUCAR
 CINEMA COM RAPADURA
 KINEMAIL
 POPPY CORN
 BLOG DA LAURA BEATRIZ
 O CAIXOTE - REVISTA
 VIVER E MORRER NO CINEMA
 BLAXPLOITATION
 EROTIKILL
 O ESCURINHO NO CINEMA
 CINEMANÍACO
 PINK FREUD
 SCORETRACK NETWORK - MÚSICA E CINEMA
 ROTEIROS ON LINE
 NÃO
 VÍDEO CLUBE CINE SERIADO - Compra de filmes raros
 CINE TV NOSTALGIA - Compra de filmes raros
 PUTRESCINE - Compra de filmes raros
 REVISTA BALA
 DICACINE
 MOÇO DE FAMÍLIA - Contos, crônicas e ensaios
 PLANO A PLANO
 CINEMA LIDO
 FILMES BRASILEIROS QUE POSSUAM O ESPORTE COMO TEMA
 DROPS MAGAZINE - CINEMA
 A REBELDIA, O SONHO E O CINEMA
 MONSTRO NA GARAGEM
 CINETRIX
 O OLHO DE HOCHELAGA


VOTAÇÃO
 Dê uma nota para meu blog!